Um profissional a se espelhar

Quarta-feira, 21/12/2016, às 06:00

Ao integrar o universo cada indivíduo submete-se a responsabilidades que norteiam traçados nas vidas particulares, familiares e profissionais. Cada qual superando obstáculos em busca de respostas aos questionamentos que se apresentam. Algumas dessas pessoas surgem com a missão bem definida de contribuir, de melhorar, de agregar. Dedico aqui, neste espaço, o reconhecimento de um profissional que se esmerou por longos anos nesta casa. Aliás, única casa a trabalhar; foram essas as palavras do amigo e colega Almir José Gorges, que tive o privilégio de conhecer há várias décadas.

De caráter forte e de coração macio era o jovem de origem simples, hábil no futebol. Vez por outra partíamos para o “tira-teima” de quem era melhor: Pelé ou Ademir da Guia. E assim se passaram anos e eis que hoje Santos e Palmeiras ponteiam os campeonatos.

Mas foi depois de longo período, em fins de 1983, que nos reencontramos na escolha de vagas ao concurso de fiscal da Fazenda. Gorges já vinha logrado êxito em 1978 na carreira de escrivão de exatoria. Em sua sabedoria não se esqueceu do aprendizado no seminário, em poder compartilhar e socializar os seus conhecimentos. Foi quando, em 1998, teve a feliz ideia de editar a obra “O Dicionário de ICMS/SC, de A Z”. Naquele momento, mais uma vez demonstrando sua gratidão, escolheu-nos para prefaciar seu livro. Eis alguns trechos, que mesmo com o tempo parecem atuais. “O autor, amigo e companheiro, professor e fiscal de tributos estaduais, acaba de lançar no mercado uma obra-prima e inédita da maior importância, a qual nos auxiliará, sobremaneira, nas consultas e pesquisas diárias.” E profetizávamos: “O ‘Dicionário de ICMS’ veio para ficar”. Hoje perene, em sua 14ª edição. E prosseguíamos: “Pretende a presente obra facilitar a interpretação da tão prolixa legislação do ICMS. Partindo da premissa da sua vontade imensa de poder acertar, o leitor poderá concluir que seguramente está contribuindo para a formação de uma sociedade mais justa e consciente no que se refere à coisa pública”, concluía.

O abnegado

Gorges segue com a sua missão de catequizar profissionais liberais, empresários e servidores na certeza de que, conhecendo em profundidade a matéria tributária, dificilmente cometem-se erros. Ao nos receber em seu gabinete na manhã de terça-feira, encheu-se de entusiasmo, afirmando o seu maior respeito pelo contribuinte. Propósito esse reconhecido pela insistência de bem aparelhar para inovar no atendimento ao público, facilitando a vida dos que necessitam dos serviços. Um abnegado sem hora para trabalhar, ultrapassando as 12 horas diárias.

O legado

Tenha certeza de que graças ao seu esforço, aliado a nossa luta, a Escola Fazendária (Esfaz) permanece forte, firme e pronta a novos desafios. O grande legado sem sombra de dúvidas será a continuidade do processo O Estado na Medida, em que está sendo tratado o dimensionamento da força de trabalho na SEF/SC e no Executivo catarinense. Gorges sai da vida pública para ingressar em projetos próprios, ousados, certamente, na vida privada. Pela amizade, sucesso e forte abraço!

O sucessor

Abraçando a nobre causa, sucede nas ações como secretário-adjunto da Fazenda o também jovem amigo e colega auditor fiscal Renato Lacerda, ao qual desejamos sucesso, hipotecando-lhe total apoio. Assunto que abordaremos na próxima coluna.

Refletindo

“Que nos fortaleçamos com a sabedoria dos mais velhos, a dedicação dos adultos e a beleza das crianças e possamos vivenciar o nascimento do menino Deus num ambiente repleto de harmonia, de amor e de muita paz.” Feliz Natal! Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *