Atendimento de qualidade, a marca de sucesso

qualidade-no-atendimento-1-638
Quarta-feira, 20/07/2016, às 06:00

Vem de berço muito do aprendizado que se carrega em vida. O meio em que se vive também contribui ao aprimoramento. Informações claras e transparentes devem fazer parte do cotidiano dos servidores públicos. E na Secretaria da Fazenda de SC tem sido um dos pilares, defendido pela alta administração. Assim acontece nos setores de controles das despesas, bem como nas administrações das receitas.

Em conversa com auditor fiscal, em dia de plantão, este relatou alguns fatos corriqueiros, mas que foram importantes nas vidas dos usuários. Determinado cidadão teve seu notebook roubado e para substanciar o Boletim de Ocorrência necessitava da contraprova, a nota fiscal eletrônica, esta extraviada. Recorreu ao plantão fiscal, que de posse das informações efetuou consulta no sistema, localizando o documento. O resultado foi a satisfação pelo serviço prestado, permitindo a elaboração do processo. Em outra situação, a necessidade da troca de mercadoria sem a nota de compra, negada pela empresa. Nova consulta foi executada e para surpresa a nota fiscal havia sido emitida, sem que a empresa a fornecesse. De posse das informações e da segunda via, solucionou o seu problema.

Ainda que corriqueiro, o atendimento deve ser sempre bem-feito. O servidor, no seu papel profissional, sedimentou perante o cidadão/contribuinte a marca da sua organização.

 

Cimento frio

E por falar em atendimento, no mercado concorrido é primordial, mas para fazer a diferença outras qualificações são exigidas, como criatividade e preços competitivos. Um paradoxo, mas é na crise que deveriam predominar os investimentos em qualificação para, na reação positiva do mercado, sair à frente. Em diversos produtos, como o cimento, a coisa acontece desordenadamente. Comerciantes do ramo de material de construção da região de Tubarão-SC estão alarmados com a invasão de cimento supostamente de outros Estados, vendido a preço irrisório. Segundo os prejudicados, trata-se de produto comprado sem nota fiscal e, por consequência, também sem a retenção do ICMS devido, ou então de mercadoria roubada, ambas ações criminosas. No desespero apelam ao fisco, que, em épocas recentes, já notificou casos semelhantes. Aos que se aventurarem transportando ilegalmente com o aval dos espertinhos adquirindo o produto irregular, é melhor ficarem atentos. Fisco e polícia vão ensinar como se aquece cimento frio.

Entregando o ouro

Fatos estarrecedores como os de corrupção envolvendo o alto escalão de empresários, políticos e servidores públicos, dos quais no passado se ouviam rumores, estão vindo à tona graças à utilização do instituto da confissão, mediante abatimento na pena por condenação. Tais práticas também acontecem em níveis abaixo e devem pipocar nas vésperas das eleições. E como telhado de vidro é o que mais existe, certamente muitos dos pré-candidatos são acometidos de insônia. Há quem aposte no nivelamento sem consistência nas provas para obter regalias como o ocorrido com dirigentes das construtoras investigadas. Para os investigadores da Lava Jato, a enrolação em nada acrescenta, e já avisaram: “Quem não entregar o ouro não levará o benefício”. Caindo assim, por terra, a delação premiada.

Joio do trigo

Todavia, o que não pode prosperar são as mazelas sem as correspondentes provas. Há que se separar o joio do trigo, e as entidades constituídas devem atentar para tal.

 

Devedores de impostos

Empresário da alta estirpe paulista e diretor da FIESP deve à União mais de R$ 6 bilhões de reais em dívidas tributárias. Condenado à prisão pela lei dos crimes contra a ordem tributária, recorre em liberdade. O montante dos débitos com viúva ultrapassa R$ 1 trilhão de reais. A cobrança e o respectivo ingresso aos cofres públicos de 20% liquidariam com o déficit das contas do governo em 2016. Nos estados e municípios a proporção é a mesma. Enquanto os retos mantenham suas obrigações em dia os desonestos enriquecendo às nossas custas.

E para por em prática somente uma operação de guerra, sem freios, paixões e brechas de lei entre fisco, ministério público, policias e judiciário.


Refletindo

“No dia do amigo vale lembrar que amizade segura e leal serve como instrumento na conquista da paz fraternal.” Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *