Imposto sobre obesidade

obesidade-infantil

Quarta-feira, 30/03/2016, às 06:00

Não se tem notícia da criação deste imposto. Mas a sociedade do consumo está aí para abraçar o que lhe for ofertado.

Não muito distante as indústrias do fumo investiam em cenários deslumbrantes chamando as pessoas a sua adesão. Os mais velhos se recordam do comercial “venha para o mundo de Marlboro”, nome dado a uma famosa marca de cigarro. Devido às constatações em causar dezenas de doenças, como o câncer de pulmão, o hábito de fumar passou a ser renegado como a limitação dos espaços à prática do prazer. Para subsidiar o tratamento dos seus malefícios, a tributação tornou-se como um mal necessário, portanto nas alturas.

Eis que surge um novo vilão; não escolhe idade e que as propagandas condicionam nas crianças o hábito do prazer; os refrigerantes, companheiros de todas as horas e que já encontram resistências. Nas recomendações quanto ao seu consumo estão as substituições por sucos naturais ou outros produtos com menor teor de doçura. As razões são de que prejudica a saúde provocando doenças como o diabetes e do coração.

E tem mais

Por aqui existe a tributação sobre o consumo, no produto. Mas o Reino Unido, preocupado com o alto índice de obesidade e de sua capacidade de envolver as crianças, está propondo mais uma tributação, justamente para que o fruto da arrecadação custeie o tratamento de doenças por ele causado. Países escandinavos, França, Bélgica, Hungria e México já implantaram a nova tributação no combate à obesidade. Como cá, ninguém aprecia aumento de tributos ou criação do mesmo. E a Federação Britânica de Alimentos alega que é bobagem e que não fará diferença alguma. E como o setor abriga expressiva massa trabalhadora, alega que custarão muitos empregos. Se a moda pega…

Previdência estadual

Em tempos de crise, com as arrecadações em baixa e as despesas em alta, os governantes têm que lidar com o fantasma da previdência, que tende a aumentar. Enquanto a União e a maioria dos Estados e municípios vão empurrando com a barriga, SC vem fazendo o dever de casa com aprovação de leis até antipáticas, porém necessárias. Diante do nebuloso cenário o servidor não pode ficar alheio deixando à mercê dos gestores e políticos. Para não ser pego de surpresa o melhor é participar. Dessa forma, o Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev), que tem na presidência o auditor fiscal da Receita Estadual aposentado e ex-deputado estadual Renato Luiz Hinnig, estabeleceu novo prazo de inscrição (8 de abril) para os candidatos às eleições dos Conselhos de Administração e Fiscal, do Regime Próprio de Previdência dos servidores do Estado de Santa Catarina (RPPS/SC) – biênio 2016/2018.

Previdência estadual 2

A convocação é direcionada às inscrições de candidatos, de todos os poderes, aptos às seguintes categorias: 1) Conselho de Administração: possuir formação em curso superior e experiência na área de administração pública; 2) Conselho Fiscal: possuir formação superior, experiência na área de gestão administrativa ou financeira, ou especialização acadêmica em área afim e, preferencialmente, reconhecida capacidade e comprovada experiência na área de previdência social.

Eleições no SINDIFISCO

 

Toma posse em 30 de abril a nova diretoria do Sindicato dos Fiscais da Fazenda de SC – Sindifisco para o triênio 2016/2019. Reconduzido para mais um mandato o auditor fiscal Fabiano Dadan Nau, juntamente com os membros da nova diretoria darão continuidade ao excelente trabalho, que ultrapassa os deveres da classe, conforme o lema de campanha: Comprometimento e Atitude. Sem concorrente e com a participação de 45 dos filiados, a chapa de Dadan abocanhou 99% dos votos. Parabéns da coluna.

 

Refletindo

“Quem se envolve em corrupção não quer se considerar criminoso. Assim, não diz propina, mas ‘doação’. Não chama quem corrompe de corrompido, mas de ‘amigo’.” Donatella Della Porta, socióloga italiana. Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *