Os desafios do Caminho do Sul

Quarta-feira, 02/03/2016, às 06:00

Iniciado na manhã de ontem, em São Leopoldo (RS), o desafio do 2º Caminho do Sul, uma empreitada de 687 quilômetros com destino a Nova Trento (SC). Em 25 dias de caminhada os peregrinos cruzarão mais de 20 cidades e localidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O propósito do caminho é individual, cada um à sua maneira e razões. Porém, a peregrinação também propicia reflexão, espiritualidade, contemplação da natureza, fortalecimento, novas amizades e sobretudo a busca interior. Em termos materiais a peregrinação também traz benefícios e, dentro do turismo religioso, renda e emprego. Para o poder público, o fortalecimento do caixa por meio dos impostos e taxas arrecadados. Segundo relato do companheiro Laerte, que peregrina pelo mundo, não existe trajeto mais deslumbrante do que o Caminho do Sul: das paisagens deslumbrantes da serra gaúcha e dos canyons, às planícies, lagos e a orla catarinense. Os oito peregrinos encontrarão no dia 19 de março, em Imbituba, outros 35 integrantes da 15ª Caminhada das Santas, que tem na coordenação o dr. Irmoto Feuerschuette, após percorrerem dois terços do caminho. Nas próximas três semanas a coluna comentará sobre onde e como estão os peregrinos desafiando o Caminho do Sul.

Fichas-sujas

Em tempo de eleições, nada agradável a divulgação do Anuário 2016 da Justiça do Estado de São Paulo, apontando que de cada dez prefeitos quatro estão condenados por improbidade. Se considerar apenas um ano de levantamento (novembro/2014 a outubro/2015), é assustador. Vejam os crimes cometidos: contratações de serviços e obras sem processo de concorrência; fraudes a licitações; dispensa de concurso público; uso indevido da verba do Tesouro. Qualquer semelhança com a Lava Jato… Não se trata de uma moléstia dos paulistas. Aqui também temos péssimos exemplos, com prisões, condenações, indiciamentos e suspeitos. E se no Congresso, nas Assembleias Legislativas e Câmaras de Vereadores os fatos se repetem, como convencer o eleitor a praticar o gesto democrático do voto com tantos “fichas-sujas”?

Posses e o CPMF 

As chamadas forças vivas alinham-se contra a CPMF. Na última semana a Ordem dos Advogados do Brasil e o Conselho Regional de Contabilidade foram unânimes nas suas posições, ficando ao lado do empresariado, que também vem fazendo coro. O que pega são os políticos. Com a proposta do governo federal de destinar parte aos estados e aos municípios, veem-se as situações como um cabo de guerra.

Acesso às informações

O cerco se fecha aos sonegadores. O Supremo Tribunal Federal (STF) votou pela validade da Lei Complementar nº 105/2001, que permite à Receita Federal o acesso às informações bancárias de contribuintes, sem autorização judicial. Uma decisão lúcida, modernizadora da atuação da Administração Tributária brasileira. Torna-se forte o papel do Fisco como instituição indispensável e constitucionalmente vocacionada no combate a esse crime hediondo.

Refletindo

“A Polícia Federal continuará com o seu trabalho como vem desenvolvendo até hoje.” Wellington Cesar Lima e Silva, novo ministro da Justiça. Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *