Os frutos amargos da contabilidade

Contabilista-e1398257497240

Quarta-feira, 03/02/2016, às 06:00

A ânsia arrecadatória imposta pelos governos federal, estaduais e municipais para suprir as despesas tem levado os profissionais da contabilidade à beira da exaustão. Em certos casos, sem as habilidades necessárias em administrar suas despesas de forma correta, criam novas regras para ampliar a arrecadação reduzindo os parcos recursos do esfolado contribuinte. Esses profissionais vivem atrelados a prazos e atarefados em satisfazer essa fome voraz dos entes públicos.

Com a entrada em vigor no dia 1º de janeiro do Diferencial de Alíquota do ICMS em vendas para fora do Estado a não contribuintes do ICMS e as alterações em alguns itens da Substituição Tributária, ficam no meio de um fogo cruzado. De um lado o poder público querendo arrecadar mais, e de outro a classe empresarial, que já não suporta mais a elevada carga tributária.

Outro ponto que vem tirando o sono de muitos contadores e empresários chama-se “Concorrência Leal 1 e 2”. A grande maioria efetuou os ajustes necessários conforme os apontamentos do grupo especialista. Porém, os que não efetuaram estão rindo à toa, sendo que as infrações ocorridas no ano de 2010 já prescreveram. Com esse fato, vários perderam a credibilidade junto a seus empresários (clientes), restando aguardar os desfechos.

As conquistas

Mas a vida do profissional da contabilidade também é de conquistas. As parcerias das entidades contábeis com os órgãos de fiscalização e regulação geram grandes benefícios no que se refere a prazos, descontos e incentivos. Hoje se sentam à mesma mesa para discutir assuntos pontuais e debater qual a melhor forma de aplicação. E se nem tudo são flores, também não geram somente espinhos. Do cultivo à colheita, um longo caminho a percorrer, para então desfrutar dos sabores da profissão.

Aplicativo DIFA

Dentro da política das parcerias, a Fazenda Estadual liberou ontem uma página com explicações e sistemas que facilitam o recolhimento do diferencial de alíquotas por contribuintes de outros estados que não estão inscritos no cadastro catarinense. “Somos o primeiro Estado a oferecer essas opções para o contribuinte, reduzindo a burocracia e, consequentemente, os custos tributários do pagamento do Difa do comércio não presencial, em vigor desde 1º de janeiro”, afirma Carlos Roberto Molim, diretor de Administração Tributária da Fazenda de Santa Catarina. Para acessar o sistema, clique no endereço www.sef.sc.gov.br.

Posse no SINDICONT

Ocorre na noite de hoje, 3/2/2016, às 20h30, nas dependências do Hotel Termas da Guarda, em Tubarão, a posse da diretoria do Sindicato dos Contabilistas de Tubarão e Região (Sindicont) para o biênio 2016/2017. Capitaneada pelo contador Lecir dos Passos Ghisi, assume a nova diretoria com a missão de prosseguir com os trabalhos de parcerias. Confirmada a presença de diversas autoridades contábeis, como a do vice-presidente administrativo do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), sr. Sérgio Faraco, presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina (CRCSC), sr. Marcello Alexandre Seemann, e do ex-presidente do CRCSC, sr. Adilson Cordeiro. E pela trajetória nas parcerias entre fisco e contabilidade, estaremos prestigiando o evento.

Refletindo

“Os verdadeiros líderes ensinam as pessoas a fazerem grandes coisas. E quando o trabalho está feito, eles dizem: ‘Nós é que fizemos.’” Lao-Tsé. Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *