Qualidade na Gestão de Pessoas

GP-300x197

Quarta-feira, 25/11/2015, às 06:00

A 56ª Reunião do GDFaz – Grupo de Desenvolvimento do Servidor Fazendário –, realizada nos dias 23 e 24, em Brasília, com a presença de representantes de 17 estados levantou alguns questionamentos, tais como: Qual a contribuição da gestão de pessoas na arrecadação de tributos? Interessa aos administradores a repercussão imediata, nos resultados. Todavia, para que se alcance o objetivo algumas etapas necessitam ser ultrapassadas: se a adequação ao uso de novas ferramentas; se no desenvolvimento de novas técnicas motivacionais; ou se em outro campo que propulsione melhorias. Independente da prioridade, há que se ter o reconhecimento e o envolvimento da alta gestão junto ao setor.

O tratamento da área meio como sendo estratégica na organização contribui, sobremaneira, nas realizações das ações planejadas. Talvez, pela subjetividade, o mais difícil será quantificar. Mas o fato de externar apoio faz com que a equipe, que se encontra à frente do processo, possa desempenhar as funções planejadas com maior tranquilidade.

As avaliações das atividades executadas pelos grupos de trabalho, bem como o planejamento para 2016, tiveram atenção especial com foco nas novidades do mercado no campo de gestão de pessoas. Outro ponto importante: a apresentação do jornal falado, onde cada unidade apresenta suas mais importantes ações realizadas, além da troca de experiência entre os pares. Santa Catarina destacou a modelagem de projetos e processos da Fazenda que tem implicações diretas na reestruturação da Escola Fazendária.

E tem mais

A saída temporária da coordenadora Juraci Câmara (PI) por questões profissionais e a assunção do secretário Carlos Dell’Agnello (PR) não implicará processo de continuidade. A entrada de novos membros e a presença de estados que até então não compareciam vêm fortalecer ainda mais o grupo. Enaltecida a presença da diretora adjunta da Esaf, professora Rai de Almeida, que frisou o comprometimento de cada servidor com os resultados no campo da capacitação em relação à missão que a sociedade confiou a cada um. Outro ponto levantado foi sobre a devolução, por meio de serviços de qualidade, acreditando sempre que se pode fazer diferente. Reforçou também a importância da inserção da educação fiscal na Base Nacional Curricular, que o MEC disponibilizou em site para consultas e sugestões, até 16 de dezembro.

Prêmio Educação Fiscal

Foi realizada ontem, na Embaixada de Portugal, em Brasília, a entrega do Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2015 a três escolas e duas instituições (prefeituras municipais). Entre as autoridades, o Ministro da Fazenda Joaquim Levy, o Secretário da Fazenda do Rio Grande do Norte e coordenador do Consefaz, sr. André Horta de Mello, o subsecretário da Receita Federal, sr. Iágaro Yung Martins, representantes do GDFAZ e o coordenador do programa em SC, o auditor fiscal Lourenço Sogabe. Realizado pela Febrafite – Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais – em parceria com a Escola de Administração Fazendária – Esaf –, o prêmio visa ao resgate da função social dos impostos, ao acompanhamento dos gastos públicos e a disseminar a informação sobre quais são os tributos, quais as políticas públicas financiadas por eles, como se arrecada, como e onde se aplicam e como se fiscaliza sua alocação, promovendo a transparência da arrecadação e sua aplicação.

Refletindo:

“Gerir gente eficazmente é saber definir as necessidades de pessoal, saber atrair, contratar, reter, motivar, avaliar desempenho, desenvolver, remunerar, reconhecer empenho e até saber demitir. É reconhecer que gente é o propulsor que move as empresas”. José Luiz Bichuetti.

Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *