Fisco Catarinense investindo em pessoas

Índice

Quarta-feira, 19/08/2015, às 06:00

A Secretaria da Fazenda passa por um ciclo virtuoso na área de capacitação, notadamente em cursos de pós-graduação. No último dia 13, a analista do Tesouro Estadual Simone Pereira dos Santos, aluna da Pós em Gestão Pública Avançada, desenvolvida pela Escola de Governo ENA – Brasil, abordou no trabalho de conclusão “A Gestão do Conhecimento”. Após a apresentação, o diretor da área argumentou que a sua obra tem aplicação prática. Em breve, os outros quatro colegas farão o mesmo procedimento em temas específicos.

Na sexta-feira foi a vez do MBA em Contabilidade Pública e Controle Interno, desenvolvido pela Fundace-USP, de Ribeirão Preto. O curso, in company, foi realizado nas dependências da Escola Fazendária. Seus 35 alunos apresentaram, em grupo, monografias cujos conteúdos são de importância máxima para a Fazenda estadual e para Santa Catarina. Dois temas chamaram a atenção: “O Gerenciamento de Processos e Negócios aplicado à Administração Pública com estudo de case na SEF”. O projeto, idealizado pelo secretário adjunto Almir Gorges, foi recentemente divulgado junto aos gestores. O outro tema relevante e que ocupou os veículos de comunicação em SC: “Elaboração do orçamento nos poderes e no Ministério Público, repasse de duodécimo e o princípio da não afetação da receita de impostos”. Segundo o professor Moacir Silva, do Tribunal de Contas do Município de São Paulo, as discussões sobre o duodécimo devem ser encampadas pelo próprio governador. Os alunos ainda deverão entregar um trabalho individual relacionado aos temas.

A banca avaliadora enalteceu as ricas fontes de pesquisa dos trabalhos com aplicações na Fazenda, e poderão ser objetos de publicação.

No sábado, aula magna reuniu 105 alunos de diversos setores do serviço público e da iniciativa privada no Curso de Especialização em Direito Tributário, desenvolvido pelo IBET – Instituto Brasileiro de Estudos Tributário, de São Paulo. A primeira turma formada (15 alunos) vem realizando excelentes trabalhos dentro da Fazenda. Uma segunda turma (13 alunos) aguarda o prazo para realização dos trabalhos de conclusão e a terceira acaba de iniciar suas aulas (13 alunos).

A capacitação tem aporte financeiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento e gerenciado pelo Profisco/SEF. Mas é preciso que TODOS tenham a responsabilidade e o comprometimento dessa continuidade. As ações estão apenas começando. O conhecimento não pode ficar restrito ao indivíduo/servidor. Não basta somente alcançar pontos para progressão funcional, embora seja importante.

É preciso, sim, frutificar dentro da área de trabalho, na organização e fora dela como servidor público, na certeza de que todo o esforço desprendido pela organização tenha sido compensador. Então, passa a valer o investimento.

Aguardando Mestrado

A Escola Fazendária do Paraná desenvolveu o conteúdo programático para o curso de mestrado nas áreas de Administração Tributária e Financeira. O projeto deverá ser apresentado na reunião do Confaz – Conselho de Política Fazendária que reúne todos os secretários da pasta. Dotar servidores de conhecimentos específicos nas áreas cruciais da administração pública, como tributos e finanças, é primar pelo bem maior, que é o cidadão. Não é bom negócio torcer o nariz nesse momento de crise, quando justamente o investimento no servidor é prerrogativa para continuar a navegar em mares turbulentos e chegar à outra margem são e salvo.

Refletindo

“O conhecimento é criado apenas pelos indivíduos e a eles pertence. Uma organização não pode criar conhecimento sem as pessoas. O que pode fazer é apoiar pessoas criativas e prover contextos para que essas pessoas gerem conhecimento”. Thomas A. Stewert. Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *