A lista de Janot

lista negra
Conta uma lenda que um poderoso rei possuía bens à venda. No entanto, necessitava oferecer a pessoas que eram suas amigas, mas que deveriam certos favores. Mesmo com valores exorbitantes, não haveriam de recusar, por vergonha ou para manterem suas aparências. Um outro grupo em potencial tão ou até superior também gostariam de receber as mesmas ofertas. Lutavam para terem seus nomes relacionados na lista. Mas o rei, por não estarem incluídos no rol de amigos, também não dava a mínima e os deixava de lado.
No processo do lava-jato, o que as pessoas não querem é estar relacionadas. Os que viviam próximos ao poder e que pela amizade ou pela influência, imaginavam-se livres, enganaram-se. Justamente como no mensalão, foram incluídos na lista. Claro que sabiam que poderiam estar envolvidos, mas acreditavam na barganha, na impunidade. O grande perigo é de que os políticos e o Executivo fixem-se somente na lista, esquecendo pontos importantes com outras crises substanciais, como a econômica e social.“Todo mundo que de alguma maneira se beneficiou do dinheiro desviado vai ter que se explicar, inclusive a presidente e o ex-presidente, disse à revista Veja um dos investigados, sob a condição de anonimato”. Nas palavras do juiz Sérgio Moro: “Seguindo o dinheiro e chegar aos comandantes e responsáveis pelo esquema é questão de tempo”.

A lição que se tira é que, de repente, até quem não se acreditava em algum dia responder pelos atos praticados agora, com a verdade à tona, poderá não só responder como pagar, ressarcindo aos cofres os valores sonegados em tributos e pagar com a liberdade.

 

Curso do IBET

Inicia amanhã mais uma turma do curso de pós-graduação em direito tributário ministrado pelo IBET – Instituto Brasileiro de Estudos Tributários. Quinze fazendários da carreira de auditor fiscal estarão participando das turmas que possuem integrantes de outras áreas do setor público e da iniciativa privada. O curso, com duração de quatro semestres, tem em andamento outra turma cujas aulas terminam julho próximo. As aulas ocorrem às 18h30, no auditório do Hotel Inter City, na Capital.

 

Caminho do Sul

Ao retornar do Caminho de São Tiago de Compostela em junho de 2013, viajando para Lisboa, me deparei com três peregrinos gaúchos que haviam feito o caminho português quando um deles, Inácio Flores, comentou sobre a possibilidade de criar um caminho que levasse a Santa Paulina em Nova Trento-SC, partindo de São Leopoldo-RS, do Santuário do Padre Reus. Após quase dois anos com muito planejamento, partiremos amanhã com mais outros oito colegas de vários Estados, após as celebrações que contarão com membros idealizadores do Caminho das Santas, do “Caminho das Missões” e dos amigos do Caminho de São Tiago, de Porto Alegre. Um trajeto de 660km a ser vencido em 24 dias, dentro da programação de férias.

 

Arrecadação

O impacto negativo na arrecadação no mês de fevereiro acende a luz amarela em Santa Catarina, enquanto outros já convivem com a vermelha. Energia e combustíveis subindo, levando a tiracolo outros setores da economia ameniza, mas a saída será, mais uma vez, o incremento da arrecadação através de trabalhos de monitoramento e de fiscalização. A cobrança deve ser intensificada não só pela Fazenda Estadual, mas também pelos outros parceiros, como a Procuradoria-Geral do Estado, Ministério Público e Judiciário. Afinal, todos dependem de uma única fonte de receita.

 

Refletindo

 

“Nunca, jamais desanimeis: mesmo que venham ventos contrários”. Santa Paulina. Uma boa semana! Em férias: a coluna volta a circular no próximo dia 8 de abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *