Escola Fazendária: 12 anos qualificando pessoas

Capacitação-3325

Quando se fala em quadro funcional das secretarias de Fazendas dos Estados e do Distrito Federal, são fartos os elogios quanto às qualificações no campo técnico, comportamental e da gestão. Sem querer mensurar; muitas das conquistas são frutos das construções individuais, antes e durante o tempo em que serve à organização. Outros fatores a considerar na formação do indivíduo e com peso significativo: Gestão de Pessoas e Escolas Fazendárias (Esfaz), que permitem ampliar o universo do conhecimento.

A Esfaz, fundada em 12 de dezembro de 2002 com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, através do programa PNAFI, e atualmente com o programa Profisco (prorrogado recentemente), vem dando continuidade ao processo de desenvolver pessoas. Vale lembrar que um dos requisitos para prorrogação está na garantia (em cláusula contratual) de aplicação em qualificação de pessoas. Portanto, qualquer tentativa de desvio de finalidade, o que não se acredita, o contrato será cancelado, responsabilizando gestores pelos atos praticados.

O alerta se dá pelo fato de que na década de 70, o sonho de construção do Centro de Capacitação foi sepultado pela gestão da época. Para conhecimento do leitor: o espaço onde hoje funciona a Acadepol – Academia de Polícia Civil, em Canasvieiras, foi patrimônio da Fazenda, construído para sediar a Esfaz. Por algum capricho, o projeto foi abandonado.

Em outros momentos, a escola viveu turbulência quanto à sua real funcionalidade. E a novela tende a se repetir por meio de nota circulando e que vem causando transtornos, pois muitos são os telefonemas, questionamentos, sem que se possa responder ou esclarecer a respeito. Segundo a matéria, a principal razão está centrada na redução de gastos, sem avaliar os prejuízos, pois não se tem dúvidas de que serão maiores que os lucros almejados. O emocional já afetou colegas. Os com potencial para continuar produzindo devem solicitar remanejamento de setor, entrar com licença para tratamento de saúde, em licença prêmio ou requerer aposentadoria.

E tem mais

A Esfaz, hoje, além da capacitação do quadro dos cerca de mil fazendários, disponibiliza o laboratório de informática de utilização extrema pelos pares e pelos colegas do SAT – Sistema de Administração Tributária, sem considerar a atenção dada aos municípios por meio dos treinamentos voltados aos seus servidores e das associações de municípios.

Assusta quando se defende tanto as pessoas como o lema da primeira campanha do governo Raimundo/Eduardo  “As pessoas em primeiro lugar” e que seguem no comando por mais quatro anos. De repente, as mesmas sequer são ouvidas para opinar, contribuir, atendendo aos objetivos de qualificar as pessoas.

Reunião de apoio fiscal

Em reunião ontem, na Esfaz, o GRAF – Grupo Regional de Apoio Fiscal, sob o comando do gerente de fiscalização, Francisco Martins, avaliou as atividades desenvolvidas durante o exercício e trabalhou o planejamento para o próximo ano com o estabelecimento das metas. O diretor de administração tributária, Carlos Roberto Molim, compareceu agradecendo o empenho do grupo e reforçando a necessidade de se manter o ritmo dos trabalhos nas operações massivas, de presença fiscal e de acompanhamento no trânsito de mercadorias. As operações deflagradas pela equipe que tem na coordenação o auditor fiscal Felipe de Pelegrini Flores, servem de apoio às organizadas pelos grupos especialistas.

Refletindo

“Evite acreditar que as coisas estão melhores do que realmente estão, quando estiver num pico, ou piores do que realmente estão, quando estiver num vale. Faça da realidade sua amiga”. Spencer Johnson. Uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *