Histórico dos escândalos

corruptos02

Histórico dos escândalos

Corre na internet uma lista contendo escândalos ocorridos entre os governos de João Baptista Figueiredo (79/85) e o de Luiz Inácio Lula da Silva (2003/2010). Ao todo, foram 211 em 30 anos, numa média de 1,7 ao mês. O leitor deve achar pouco, pois atualmente as coisas se sucedem com maior frequência, chegando ao ponto de um estar em evidência quando outro pior é anunciado, desvendado. Um fator de relevância a ser considerado para o alto índice nos governos recentes deve-se ao fato de maior abertura da mídia, permitindo transparência nas informações. Ainda que vez por outra se ventile retaliações, inibindo as divulgações, como a fantasma “lei da mordaça”. O governo garante que não há mais espaço para tais aventuras e que, definitivamente, não emplaca. Mas há controvérsias. Simpatizantes da sua base apregoam tal prática.

Acabando em pizza

Os números indicam que no governo Figueiredo (79/85), ainda no regime autoritário, foram 10. Ênfase ao caso Capemi e da Coroa-Brastel. José Sarney (85/90), com seis, enfrentou a CPI da Corrupção e caso do Contrabando de Pedras Preciosas. Collor de Mello (90/92), em dois anos de poder, devido ao impeachment, o número subiu para 18 escândalos, como os da LBA e da Vasp. No de Itamar Franco (92/95) dos 31, destaque para o do Jogo do Bicho e o escândalo da Sudene. O sociólogo Fernando Henrique Cardoso (95/2003), cujo instituto da reeleição tem na sua gestão a criação, avançou para 44. Resultado: o escândalo da Compra de Votos para Reeleição e da CPI do Crime Organizado. A pesquisa termina com o de Luiz Inácio (2003/2010). Campeão, com 102 escândalos, teve situações emblemáticas, como os do caso da Morte do Prefeito Celso Daniel, CPI das ONGs e o de maior repercussão, o do Mensalão. Não perguntem sobre os resultados, pois a maioria terminou em pizza. No próximo ano teremos o do governo Dilma. Prometeu fazer uma varredura ao demitir vários ministros e, pelo que parece, ficou por isso mesmo. Não é de se estranhar. Os resultados apontam que a maioria terminou em grande pizza.

Lista dos políticos

Paralelamente, outra relação contendo nomes de políticos que responderam ou ainda possuem processos pendentes na esfera criminal por sonegação fiscal, falsidade ideológica, formação de quadrilha, dólares na cueca, sanguessugas, mensalão e outros. O alerta é para analisar, com carinho, o perfil do candidato antes de apertar o botão. Depois não adianta chorar. Lembre-se de que estamos em ano de eleições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *